The Elephant Room

Página 4 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Seraph em Dom Maio 15, 2016 12:27 am

(Como tinha escrito antes, me aproximei da mesa de Ethan)

*chegando perto, percebi que ele está com uma "menina"(Anabele). Depois de conhecer Briene e ver essa menina ao seu lado me pergunto se Ethan não tem uma preferência por esse estereótipo.*

*Observo a "menina" por um instante quando chego a sua mesa, e me volto olhando para o tal Arconte e viro para Ethan novamente (para que ele perceba que o que vou falar se faz referência ao famigerado membro.*

-Está tudo bem Ethan?

*A máscara que uso está mais pendurada na cabeça do que colocada, assim é possível ver o rosto de Seraph... Pelo menos do jeito que é com a pintura.*
avatar
Seraph

Mensagens : 325
Data de inscrição : 18/11/2015
Localização : Austin

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Dom Maio 15, 2016 3:59 am

Narração Todos

Ernest se aproxima do príncipe cumprimentando o mesmo, em seguida sua acompanhante Anabele.

Anabele havia sido apresentada aquele que era o zelador do Elísio, um membro de carisma fantástico e percepção aguçada.

_Todos os membros foram inspecionados, nenhum deles pertence ao sabá. Tirando o Boris ao seu lado, nenhum membro esta ofuscado ou se passando por outrem.

Boris esteve a todo instante ao lado do príncipe, era surpreendente Anabele não ter notado aquele membro. Boris era muito bom.

_Estamos chegando no fim da festa e tirando o fiasco de Ada, tudo ocorreu conforme planejado.

Ethan acena em concordância.

_Eu te chamei aqui pelo simples fato deste senhor, seu irmão sanguíneo, ser uma Persona Non Grata.

_Sua senhora, a senhora de ambos se tornou uma autarca, não é bom que ele permaneça entre nós!

_Vou conduzi-lo ao Elísio e descobrir o motivo de sua presença na minha cidade.
Você assume de agora em diante.

_Vamos senhorita? -Dizia a Anabele-

Ernest se senta na cadeira do príncipe, um local de vista privilegiada. Naquele momento o belo anjo, daria acento ao poderoso membro com máscara de demônio.

...

No caminho Ethan explica a Anabele:

_Vamos até o Elísio, este senhor(Vidal) irá comigo no veículo. Você vai com William, é bom conhecer melhor o algoz, ele é uma pessoa muito difícil de se lidar quando quer, mas geralmente esboça carisma até demais para um membro de sua função.

_Ganhe sua confiança, e terá um bom aliado!

Ethan precisava daquele momento de privacidade com o visitante inesperado, tinha plena certeza que Anabele entenderia.

Em contra partida Anabele tinha uma tarefa, lidar com um monstro que ainda não conhecia, mas pela forma que Ethan dizia, sabia que se sairia bem.

...

No caminho de seu local de destaque até a saída, Ethan para próximo ao trio (Frida, Miguel e Mifune).

_Preciso de vampiros fortes para fazer uma escolta.

_Venham os três comigo!

Ethan estaca seu olhar na direção do jovem desconhecido por um curto período.

_Depois converso com você jovem...

_Até lá, cumpra esta missão!

Dando as costas a estes membros, caminha até a saída.

...

Frida olha para a cria e Mifune e diz entre os dentes.

_Vamos!

...

No caminho Seraph sente um toque em seu ombro, se tratava de Ethan, seu pai.

_Venha meu filho, preciso que se torne amigo desta senhorita, é uma grande aliada, com papel fundamental na nossa guerra!

Seu olhar era sereno, e enigmático, Ethan sabia que seu filho teria um grande desafio.

...

Na porta de saída para membros da cidade, o que vinha a ser o pub The Elephant Room, todos que acompanharam o príncipe se depara com a seguinte cena:

William conversava com Ada que lhe explicava algo particular.

(Off: teor da conversa será passado via chat)

A primogena estava controlada e agora muito mais calma.

Por sobre a mesa tinha um belo mortal desmaiado e pálido, provavelmente ele serviu de alimento aqueles seres da noite(Na verdade este homem não faz o feito de William, mas isso não fica subtendido).

_William, preciso que me acompanhe até o Elísio em uma escolta.

_Minha convidada e Seraph irão em seu veículo se não se incomodar...

Ethan não precisa dizer mais nada, e para um bom entendedor e perito em segurança que era, já havia entendido que a escolta seria para Vidal Jarbeaux.

...

Um membro conhecido da seita trazia Vidal logo atrás, que mantinha um sorriso cínico no rosto.



Aquele era Boris, um dos homens de confiança do príncipe, conhecido de alguns, novidade para Anabele e Miguel.

...

Obah consegue sem problema algum fazer amizade com muitos membros. Era detentora de uma beleza formidável, e carisma absoluto.

Nesse ínterim se depara com Hecate, a filha de Ernest.

...

Hecate no decorrer da noite nota uma moça de tez negra, muito bonita. Seu principal atrativo era seu olhar cor de esmeralda, raro nos oriundos daquele raça.

Um leve ciúme surgiu neste meio tempo, se ela era sua irmã, como não havia sido apresentada?

Talvez fosse melhor buscar esta resposta ante ao misterioso Ernest mais tarde.

Todavia sente a oportunidade ao trocar pela primeira vez naquela noite olhares com a bela membro de cor negra.

Ela não fugia em nada a beleza que Ernest escolheria, na verdade Hecate sempre notou que seu mestre tratava bem as escravas; talvez este desejo se tornou crescente nestes últimos anos a ponto de Ernest adotar como filha, uma jovem oriundo do povo escravo, hoje, um povo livre.


Última edição por Narrador em Dom Maio 15, 2016 4:19 am, editado 2 vez(es)
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Seraph em Dom Maio 15, 2016 4:15 am

*Satisfeito com o término daqueel baile, concordo com a cabeça a ordem de Ethan. Mais uma vez olhando para a menina, a curiosidade crescente pelo que seu senhor acabará de contar. Logo pego a máscara e a jogo
de lado,e me dirigindo a Anabele.*

-Boa noite "menina", prazer em te conhecer, sou Serafh, cria de Ethan.

*Fazendo sinal com a mão, indico o caminho para ela seguir ao meu lado.*

-Vamos?

*Caso não haja nenhum problema e empecilho, sigo com ela até o carro de Willian.*
avatar
Seraph

Mensagens : 325
Data de inscrição : 18/11/2015
Localização : Austin

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Miamoto Mifune em Dom Maio 15, 2016 6:31 am

(Mifune se inclinava da forma de cumprimento e respeito oriental, a curvatura e o tempo que Mifune fica sugere o seu respeito ao Ethan como um imperador ou soberano.)

Hai!

(Tirando a máscara e andando com a katana junto à cintura, Mifune estava em alerta máximo e andava com uma postura como um verdadeiro aristocrata samurai. Ele ascena com a cabeça para Seraph, na presença de Frida e de Serath era quando Mifune sentinha-se mais avontade, mas sem perder sua pose e é claro seu modo alerta. Ao ver o bonitao ser escoltado por Boris o samurai se surpreende, quando Boris apareceu na festa que ele nem viu? Já do lado de fora, Mifune se aproxima de Ethan e comunica que veio com Miguel e Frida no mesmo carro)

Ethan-ou sama, nós três viemos no meu carro, pode me acompanhar?

(Ele indica onde havia estacionado o veículo e esperava a resposta do príncipe, acreditando que o mesmo queira ir no seu próprio carro)
avatar
Miamoto Mifune

Mensagens : 222
Data de inscrição : 26/11/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Anabelle-Ethan/Seraph/Trio/William

Mensagem por Anabelle em Dom Maio 15, 2016 3:27 pm

*A festa que parecia ir muito bem até aquele momento, sofre uma reviravolta com o aparecimento bombástico de Vidal,  aquele tipo de entrada era esperado de um membro do clã da rosa tão notório.
Um mascarado gentilmente ajuda Ada a sair do salão sem mais percalços. Anabelle não sabe de quem se trata, mas  com certeza é um homem de coragem, enquanto todos  ali pareciam petrificados pela presença  do ex-arconte, ele tomara a frente e ajudara a pimógena a sair do limbo em que se encontrava.
Uma vez mais a linha de raciocínio de Anabelle é interrompida, pela aproximação de um desconhecido, que logo Anabelle descobre tratar-se da cria de Ethan, um jovem com uma “máscara” abaixo da “máscara.”
Logo Ernest aproxima-se impedindo Anabelle de cumprimentar Seraph, parecia que o festejo havia chegado ao fim, pelo menos para eles.
A presença de Boris, ofuscada ali o tempo todo a deixa bastante pensativa, aquele parecia ser um hábil aliado para Ethan, a malkaviana esperava de todo coração que ele fosse de total confiança, pois um cainita com tão elevados poderes poderia ser um terrível inimigo.
Quando o zelador senta-se  na cadeira de Ethan, Anabelle o olha com certa curiosidade, o que levara ele a tomar  tal atitude? Teria sido motivado apenas pelo o lugar ter uma vista privilegiada? Isso também a levava a outro questionamento, como teria entrado o ex-arconte sem ser notado? Alguém teria  facilitado sua entrada? A revelação de Ernest e Vidal possuírem a mesma senhora deixa a descendente de Malkav  ainda mais curiosa.
Compreende quando Ethan pede que ela vá em outro veículo, sua vontade era acompanhar o regente, mas bem sabe que se ele assim pediu, é por ser necessário.
Quando Ethan toma a frente,  ela viera-se para Seraph e sorri gentilmente. Com toda certeza ele merecia completa atenção de Anabelle.*

- É um imenso prazer conhecê-lo Sr Seraph.

*Ela segue pelo caminho indicado, em silêncio segue o príncipe acompanhada de Seraph.  Quando o príncipe aproxima-se do trio de desconhecidos ela nada fala, apenas escuta.
Ao chegarem até o Algoz  Anabelle reconhece-o como sendo o salvador de Ada. Permanece em silêncio apenas escutando as recomendações de Ethan, aguarda a chegada do veículo que a conduziria até o Elísio na companhia do enigmático algoz.*
avatar
Anabelle

Mensagens : 80
Data de inscrição : 05/03/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Seraph em Dom Maio 15, 2016 6:01 pm

-Não precisa me chamar de senhor, não sou senhor de nada nem de ninguém, mas agradeço a educação. Mas pode me chamar apenas de Seraph, e qualquer coisa que precisar, pode contar comigo. Gostaria de conversar mais com você menina, espero que tenhamos essa oportunidade nesse final de noite.

*Converso isso com Anabele, durante o percurso até o carro de Willian.
avatar
Seraph

Mensagens : 325
Data de inscrição : 18/11/2015
Localização : Austin

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por William Reddington em Dom Maio 15, 2016 6:03 pm

William-TODOS

O Ventrue retirava a Primógena Toreadora do salão e enquanto caminhava aproximou o ouvido da Rosa Negra para que pudesse ouvir suas palavras de forma discreta. Até que então, fora abordado por Ethan que lhe pedia para escolta-lo até o Elísio, para que pudesse levar Vidal sem Problemas.

William sorria por baixo da máscara enquanto observava o sorriso cínico do ex-Arconte, porém, o fitou de forma breve e então se virou, tomando a mão da Primógena Toreadora enquanto retirava sua máscara revelando seu rosto:



Então a beijou sobre a mão suavemente e enquanto erguia o olhar para Ada disse:

-Infelizmente terei de lhe deixar minha bela Rosa Negra, por companhias não tão agradáveis, todavia, iremos nos ver em breve.

O Ventrue então se colocou em uma postura ereta e voltou seu olhar para a acompanhante de Ethan, a jovem de cabelos loiros e semblante sereno, William sorriu para a mesma de forma amigável e por algum motivo que a Malkaviana não podia entender, aquele homem parecia um velho conhecido da mesma, como se o Ventrue fosse alguém íntimo e familiar de Anabelle a primeira impressão.

-Boa noite senhores!

Fez então uma bela reverência a Anabelle lhe pegando a mão e a beijando de forma cordial caso ela permitisse e dizendo:

-Mi Lady Anabelle!

William não era um homem muito bonito, porém, apesar do sorriso sarcástico que ele mantinha no rosto, esbanjava um carisma palpável e sua voz era bela que massageava os ouvidos de qualquer crítico, fazendo que aqueles que conheciam William pela primeira vez, se perguntarem se ele era algum tipo de cantor ou locutor em sua vida mortal, seja como fosse, o Algoz era bem atípico para um membro em sua função a primeira vista. Além do fato de que ele saber seu nome a intrigava.
....

Então meneou a cabeça pra Ethan positivamente, mostrando entender as ordens recebidas de seu Príncipe e disse:

-Muito bem meu velho amigo Ethan...

Com um gesto de estalar de dedos, entre os muitos membros que passeavam pela festa, surge dois mascarados como sombras entre a multidão, que se juntam ao grupo que ali estava e William diz:

-Preparem um carro e escoltem Seraph e a Senhorita Anabelle, mantenham-nos em segurança.

William seguia em passos lentos a frente, enquanto seus homens abriam espaço entre os membros que estavam ali próximos para que o Príncipe e o grupo pudesse passar. O caminhar do Ventrue era ereto, quase militar, seu sorriso sarcástico se mantinha no rosto como um cartão de visita e vez ou outra, cumprimentava em suas passadas pelo salão, seja com um menear de cabeça ou com breve aceno. Caso não houvesse empecilho algum, William escoltaria o carro de Ethan, junto de Seraph e Anabelle em seu carro, além de dois de seus homens armados, na qual um era o motorista do carro e outro no banco do passageiro. Além deles, duas motos escoltavam também o carro de William, garantindo ainda mais sua própria segurança.

OFF:

William se mostra receptivo a qualquer interação dos membros envolvidos na cena durante o percurso.
avatar
William Reddington

Mensagens : 227
Data de inscrição : 18/11/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Anne Marie Laveau em Dom Maio 15, 2016 6:53 pm

OBAH - HECATE

Obah percorre o salão decorando rostos e analisando certos comportamentos, depois de certo tempo uma certa movimentação acontece e alguns membros se retiram. A camarilla adorava manter o clima de mistério no ar, fazia parte do show, quando tudo indicava que a festa se tornaria monótona Obah se depara com Hecate a filha mais linda e famosa de Ernest.

Orientada a ser simpática e fazer amizade com sua irmã diz:

- Olá Hecate, me chamo Obah Abdalla. Filha caçula de sua pai... agora sua irmã.

Sem autorização se aproxima e beija a face direita de Hecate. Um beijo quente de seus belos lábios grossos e macios.

Após o beijo (ou tentantiva) volta para seu lugar olhando a vampira dos pés a cabeça curiosa sobre quais atributos o fizeram escolhe-la para ser sua cria. Beleza sem dúvida, mas e além disso? O que Hecate tem que outras belas não possuem?!
avatar
Anne Marie Laveau

Mensagens : 147
Data de inscrição : 24/11/2015
Localização : New Orleans

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Anabelle- William/Seraph

Mensagem por Anabelle em Dom Maio 15, 2016 8:18 pm

*Anabelle sorri gentilmente para Seraph,*

- Se assim deseja, o chamarei de Seraph apenas.


*Antes que  tivesse tempo de  iniciar uma nova conversa William aproxima-se. Anabelle observa aquele que seria o algoz da cidade, Ethan dissera que seria uma pessoa de personalidade forte.
Estranhamente  ele lhe parece um velho conhecido, e Anabelle sente-se perfeitamente a vontade em sua presença.
Vasculhando sua mente tentando localizar a lembrança de onde o conhecia, ela estende a mão para que William a beije.*

- É um imenso prazer  finalmente conhecer o algoz da corte de Ethan.


*Novamente antes que tenha tempo de iniciar um diálogo, William direciona sua atenção  ao príncipe. O restante do percurso em silêncio, nunca fora muito boa em interações sociais.*
avatar
Anabelle

Mensagens : 80
Data de inscrição : 05/03/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Seg Maio 16, 2016 4:54 pm

Ethan ouve o que Mifune disse e permanece em silêncio. A resposta viria a seguir.

...

Vidal Jarbeaux.

Como um membro tão distinto surgiu como um anjo para Ada, mas como uma pedra de tropeço para tantos outros, que em meio ao prenúncio de uma guerra, uma guerra que tinha de tudo para ser a mais brutal que esta cidade já viu...

Haviam membros de outras cidades presente, menos do que deveria ter, mas era plenamente compreensível para seres eternos porém limitados. Um vampiro é eterno até que um ser mais poderoso ou alguma situação adversa prove o contrário. Os seres da noite eram mesmo um paradoxo.

_Antes de mais nada, gostaria de apelar para a Quinta Tradição.

Se reclinando para frente como um súdito, diz Vidal, mostrando uma certa educação e respeito:

_Humildemente príncipe Ethan, gostaria de pleitear sua hospitalidade...

Ethan olha o rapaz de cima a baixo e diz severamente:

_Você a tem, afinal de contas, ainda não foi obliterado!

_Agora vamos parando com esses joguinhos sujos e me acompanhe.

Ethan segue na frente, virando completamente as costas para o visitante e caminhando até seu veículo.

Vidal sorrir agora um pouco sem graça.

_Claro! -Diz enquanto caminha após Ethan-

...

Após Ethan entrar em seu veículo, Vidal faz o mesmo em seguida.

Basílio, o poderoso carniçal do príncipe cerra a porta atrás de si, revelando que iriam sós.

...

Pela disposição dos veículos:

-Duas motos iriam na frente abrindo caminho. Eram homens vestidos com roupas militares, munidos com sirenes e todo aparato necessário para abrir caminho. Para qualquer um que visse, se trataria de uma comitiva de autoridades.

-William iria na frente com Annabelle e Seraph.

-O príncipe iria após William levando Vidal.

-Mifune, Miguel e Frida após eles.

-Boris e sua cria iriam por último, cada qual em sua moto.


avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por William Reddington em Ter Maio 17, 2016 12:24 am

William-Todos (do meu carro)


Ao chegarem no veículo, podiam ver que era um sedan preto sem muito requintes, apesar de ostentar uma enorme quantia nos bancos, o Ventrue mantinha a discrição nos veículos que costumava ultilizar, enquanto isso os subordinados de William abrem a porta para que os vampiros se acomodem, como um cavalheiro, o Ventrue permite que Anabelle seja a primeira a se acomodar, seguida de Seraph e ele mesmo se senta, deixando assim a jovem Malkaviana entre seu irmão de clã e o Ventrue.

....

William cruzava a perna de forma elegante no veículo, os dois homens subordinados ao Algoz, tomam lugar de motorista e passageiro do veículo, mesmo estando dentro do carro, nenhum dos dois mortais ali retiram suas máscaras, seguindo como instruídos com o veículo em direção ao Elísio assim que nota que todos os carros estavam devidamente preenchidos com seus respectivos passageiros. Sendo assim, o Algoz aproveitava o tempo da viagem para conhecer um pouco mais sobre Anabelle, então voltou seu olhar para a mesma e disse com um sorriso no rosto:

-Então Mi Lady Anabelle, me surpreendeu estando na festa ao lado de Ethan.

O Ventrue então desviava o olhar, olhando seu reflexo no vidro do carro enquanto ajeitava sua gravata, continuando:

-Levando em consideração que já está na cidade a algum tempo e não havia ainda se socializado com a corte.

William então voltou novamente o olhar para a jovem Malkaviana e concluiu com um sorriso simpático, porém, que de tão estampado no rosto desde que Anabelle o viu, talvez criasse certo incomodo.  Por fim concluiu:

-A propósito, está magnifica...

O Ventrue polia cada palavra que direcionava, isso era claro para Anabelle, ele era um homem simpático, com certa classe que era até mesmo destoante para o cargo que ocupava, porém, a mesma conseguia notar que entre suas palavras polidas, ele deixava claro que já a conhecia e a observava a certo tempo.
avatar
William Reddington

Mensagens : 227
Data de inscrição : 18/11/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Miamoto Mifune em Ter Maio 17, 2016 1:54 am

(Mifune respirava aliviado, ele tinha um certo trauma de escoltas, a primeira que liderou e consequentemente a ultima que fizera fracassou miseravelmente perdendo seu pai e seu tio e o trazendo para os EUA consequentemente. O Brujah não sabia pq pensava naquilo e por um instante se distraiu a ponto de nem sentir Frida bufando em seu cangote. Quando volta a si ele olha disperso para os dois gangreis e toma a dianteira)

Vamos logo, pq essa noite sera tão longa quanto a ultima

(Mifune entrava no carro e seguia o carro do príncipe. Para quem estava junto era nítido que o samurai estava nervoso, para Miguel poderia achar que foi por causa do vacuo que Ethan o deu mas para Frida que o conhecia um pouco melhor percebia que o seguro e honrado samurai estava aflito.)
avatar
Miamoto Mifune

Mensagens : 222
Data de inscrição : 26/11/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Hecate - Obah

Mensagem por Hecate em Ter Maio 17, 2016 2:21 am

Por de trás da máscara, Hecate passou a divertir-se com a desgraça protagonizada por sua irmã de Clã. Não precisava ler mentes para entender que aquilo era uma retaliação, vinda do seu protetor: - Mas... como? Conjecturava à medida que distribuía olhares a granel, como quem avalia reações e semblantes, dentre eles, o de sua acompanhante Maxmiliane: - Nossa! Exclamou para a companheira, tapando sutilmente os lábios sorridentes.

Serviu-se de uma taça com um garçom que transitava à guisa do expectador insaciável que não se contenta em saborear um espetáculo apenas com os olhos.

No segundo gole de vitae, Hecate percebe a aproximação de Obah, a quem já havia notado desde a chegada de Ernest. Faltando poucos passos para fastígio do encontro, novas deduções se lhe ocorrem inevitavelmente, fazendo-a concluir que talvez, aquela desconhecia tivesse algo a ver com o evento de poucos instantes.

Hecate inclinou a cabeça com sutileza, deixando que se desenhasse nos lábios um sorriso de boas vindas até que, finalmente, estavam próximas o bastante para uma conversação.  A apresentação autêntica e atrevida, decerto falava muito sobre Obah e aquela revelação bombástica, ao que Hecate recebeu sem esconder a surpresa: - Nossa! Disse, fitando suas acompanhantes com um semblante surpreso (embora parcialmente oculto, pela máscara), mas, simpático: - Papai sabe mesmo fazer filhas! Hahahaha... Riu de si, sem entretanto perder a compostura: - Essa é Maxmiliane... Soltou o braço da companheira, apresentando-a: - E essa, Jessie... Esperou então que o trio se conhecesse, para finalizar: - Estávamos falando sobre o vexame da noite. Que coisa lamentável... Dizia, sem apagar um sorriso de canto, enquanto aguardava uma resposta de Obah.
avatar
Hecate

Mensagens : 91
Data de inscrição : 11/12/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Anabelle-William/Seraph

Mensagem por Anabelle em Ter Maio 17, 2016 5:56 pm

*A malkaviana se deixa guiar, e acaba ficando  sentada entre  William e Seraph. Sente-se desconfortável, ali entre estranhos e pela primeira vez naquela noite se arrependia de não ter trazido ninguém consigo.
Jamais se sentira confortável em situações como esta, mas, ali entre o Ventrue e o Malkaviano percebe aquele desconforto usual parecia diminuído, talvez por ser um deles seu irmão de clã e outro lhe causar uma estranha sensação de familiaridade.
A verdade Anabelle desconhecia, mas sabia que desta vez não seria tão terrível ser sociável.
Lentamente ela retira a máscara, revelando o rosto juvenil. Aquele frescor da tenra idade contrastava terrivelmente com os olhos de safira, que apesar de serenos demonstravam uma sabedoria secular. Ela brinca um pouco com o pingente preso ao seu pescoço, pára, e repousa ambas as mão com o dedos entrelaçados sobre suas pernas que estavam lado a lado, ocultadas pelo vestido, sua postura era impecável
Sorri em retribuição ao elogio de William, mas não demonstra surpresa diante da revelação dp ventrue. Sabia que  não passara despercebida pela corte, apesar de não ter apresentado-se antes.*

-Obrigada Senhor William, é muita gentileza de sua parte.

*Ela faz uma pequena pausa , baixa o olhar para a saia do vestido, alisa uma ruga invisível no tecido. Volta a entrelaçar os dedos e somente então mira novamente William nos olhos.*


-Na realidade, cheguei à poucas noites em Austin, mas enviei algumas pessoas antes, para deixar tudo à meu gosto. Algumas  licenças não são assim tão fáceis de expedir não é? E eu desejava tudo  completamente dentro dos conformes da lei. Não achei que minha presença fosse necessária antes de estar tudo completamente resolvido.

*Ela sorri com sinceridade, talvez o primeiro sorriso sincero que William via em muito tempo.*

-Fico muito feliz em saber que monitorou as atividade de meu pessoal. Não esperava nada mesmo de alguém que Ethan escolheu como algoz para sua corte. Acredito que  Ethan enha lhe revelado o objetivo de minha presença aqui não é?


As palavras eram direcionadas à William, mas em momento algum Anabelle esquece-se da presença de Seraph. Ele parecia ser um pouco como ela. Preferia permanecer calado em algumas  situações apenas observando.
avatar
Anabelle

Mensagens : 80
Data de inscrição : 05/03/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por William Reddington em Ter Maio 17, 2016 6:34 pm

William-Anabelle-Seraph

William ouvia as palavras da jovem vampira, enquanto meneava a cabeça em concordância, quando a mesma retirava sua máscara, o Ventrue voltou seu olhar de forma curiosa para ver de mais perto o rosto da Malkaviana. Os traços delicados misturados com o olhar sábio da Vampira, fazia o Ventrue sorrir de maneira satisfeita, como se de fato estivesse feliz em, estar na presença de alguém tão agradável de se olhar. Na verdade, por um breve momento William se manteve em silêncio apenas fitando a vampira, parecia pensar sobre algo mas logo deu uma pequena risada, saindo do seu pequeno transe e disse:

-Não fora gentileza alguma, acredito que receba muitos elogios como esse.

Quando a filha de Malkav falava sobre estar na cidade a pouco tempo, William meneou a cabeça dizendo:

-Sim, eu estou ciente sobre o tempo que está na cidade e entendo as burocracias quando se tem de abrir um negócio lícito por aqui.

Eu ver o sorriso sincero vindo da Malkaviana, o Ventrue sorri igualmente e a responde:

-Fico feliz que não tenha se aborrecido com meu monitoramento, afinal, isso é uma prática que realizo, junto de Bóris com todos os membros que chegam na cidade, sem exceção.

-Bóris cuida do Subsolo e eu aqui de cima, é algo que nos orgulhamos em sermos bons, as vezes algo passa, mas quando acontece eliminamos...

O Ventrue dizia de maneira calma, suas palavras saiam de forma que pudesse ser entendido, sua mão no final das palavras vai até o bolso de sua calça, puxando um relógio de bolso antigo feito de prata e ele olhava as horas, logo após o guardava novamente e por fim continuava:

-Ethan é um vampiro que sabe bem como dispor dos recursos que tem, a minha escolha como Algoz, foi uma atitude sábia da parte dele, levando-se em consideração que já vinha desempenhando essa função em NY e em Dallas, eu só vim para Austin pois eu e Crane somos velhos amigos, quando Ethan e ele me pediram ajuda, eu não pude recusar.

William então fazia uma pequena pausa, pensando sobre a afirmação que a Vampira fez, dele saber o verdadeiro motivo da presença dela na cidade, por fim, conclui:

-Na verdade não Mi Lady, Ethan não me revelou o objetivo de sua vinda para a cidade, até por que isso até então ainda não é de minha alçada.

-Porém, faço ideia do motivo e volto a dizer... Ethan é um homem muito sábio...

Sorriu de forma divertida, como se sorrisse do próprio pensamento e então indagou a jovem Malkaviana:

-Mas me diga, o que tem achado da cidade e dos Membros?

William então, voltou seu olhar para a janela, enquanto observando as ruas, enquanto esperava a resposta da bela e jovem Malkaviana.
avatar
William Reddington

Mensagens : 227
Data de inscrição : 18/11/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Seraph em Ter Maio 17, 2016 8:39 pm

*Eu acompanhava a conversa dos dois imortais,  observando ambos, era realmente a época certa para eu despertar de minha inércia. A maioria dos vampiros eram egoístas, mentirosos e mesquinhos, mas algumas vezes encontramos alguns que valem a pena e se destaca dessa realidade. E pelo que vejo e ptercebo nela, Anabele é uma dessas exceções, pelo menos assim espero. Agora a pergunta que não quer calar.....Porque será que as únicas duas pessoas que encontrei em séculos com essas características são dos Filhos de Malkavian???*
avatar
Seraph

Mensagens : 325
Data de inscrição : 18/11/2015
Localização : Austin

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Anabelle-William/Seraph

Mensagem por Anabelle em Ter Maio 17, 2016 8:44 pm

*Anabelle está bastante atenta a cada palavra do algoz. Parece genuinamente interessada. Quando o ventrue elogia sua aparência, novamente ela parece notar algum defeito inexistente no próprio vestido, baixando o olhar por alguns momentos.
Pelo restante das palavras de William ela brinca com o pingente preso à gargantilha. Ao falar sobre a sabedoria de Ethan, rapidamente um lampejo de inquietação turva os olhos outrora límpidos e serenos.
A malkaviana dá um suspiro profundo como se precisasse de oxigênio em seus pulmões. Parece frustrada com algo. Em um átimo de segundo isso se dissolve, e ela volta a sorrir com gentileza.*

-Ora srº William, és realmente um “homem” lisonjeiro. Em nossa sociedade não faltam exemplares de beleza ofuscante, comparada a elas sou apenas medíocre, mas esse não é meu assunto predileto.

*Ela brinca um pouco com a máscara antes de continuar.*

-Concordo plenamente, Ethan é muito sábio, e pelo que pude perceber até agora fez esplêndidas escolhas para todos os cargos. Quanto à cidade, não posso falar muito pois  ainda não tive tempo de me socializar. Acredito que ainda demorarei algum tempo para formar opinião.
Peço desculpas se não conheço a fama das cortes que fez parte anteriormente. Devo admitir que até mesmo Vidal eu tive que perscrutar minha mente para encontrar de onde conhecia sua figura. Tenho hábito de manter-me um pouco reclusa. Há alguns aspectos em nossa sociedade que não concordo, diria até mesmo que abomino.


*Com que para dar ênfase ao que dizia, a malkaviana automaticamente faz uma expressão de asco ao se lembrar de algo. Logo esse pensamento fica para trás. *

-Mas já que temos algum tempo nesse percurso até o Elísio, me diga sob sua ótica como é Austin? Quero que você também me conte Seraph, como você vê esta corte.


*Anabelle  aproveita a oportunidade para incluir o Malkaviano, até então silencioso, na conversa, seria interessante ouvir as opiniões de ambos. Com os olhos brilhando de curiosidade altera o olhar entre seus interlocutores, aguardando suas respostas.*
avatar
Anabelle

Mensagens : 80
Data de inscrição : 05/03/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Seraph em Ter Maio 17, 2016 11:15 pm

*Já dentro do carro com Anabele, Willian e seus homens, observo a menina de forma curiosa enquanto a mesma interage com Willian. *

"(Imaginando)-Ethan disse que essa menina era uma aliada importante na guerra contra a corja do Sabá. Isso quer dizer que sua aparência frágil...(a observa) é apenas aparência. Mas ela não está com sua paz de espírito em dia....algo a está incomodado."

-Então senhorita Anabele (Willian disse o nome dela, coisa que eu não sabia até poucos instantes), eu nunca estive em outra corte além de Austin. Praticamente nunca sai daqui..... (a observa novamente). Percebo que algo a está incomodando (auspício), você está com algum problema? Algo que eu possa ajudar?

*Seraph se sentava no carro de forma bem despojada, contrastando totalmente com o jeito "mauricinho" de Willian, mas não agia com falta de educação. Ele também não era tão educado e eloquente, mas quem consegue ver através disso percebe um ótimo aliado e alguém em quem confiar.*
avatar
Seraph

Mensagens : 325
Data de inscrição : 18/11/2015
Localização : Austin

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Qua Maio 18, 2016 12:24 am

Narração - Anabele, Seraph e William

[Podem continuar na Ruas Centrais]
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Qua Maio 18, 2016 12:31 am

Narração - Mifune e Miguel

[Próximo Post Elísio (Capitólio)]
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Anne Marie Laveau em Qua Maio 18, 2016 5:30 am

Obah se afasta deixando-se contagiar por toda a descontração que o trio de garotas propunha. Sorri para Max e Jessie cumprimentando as duas da maneira mais calourada possível.

- Olá meninas, prazer Obah!

Quando Hecate comenta sobre o episódio com Ada, volta sua atenção para o palco e para os músicos que restaram lá. Deliciava-se com o simples fato de ter vivido para ver um toreador exposto ao ridículo, coisa que tanto abominam.

- De fato lamentável, espero que nossa primogênita se recupere logo.

Volta a olhar Hecate retribuindo o mesmo sorriso de canto, é perceptível certa ironia em suas palavras.

- Mas o que mais me deixa aliviada é a tranquilidade com a qual o baile transcorre, pois anteriormente nosso pai me informou que a cidade estava sob ameaça da seita rival e me pediu para tomar todo o cuidado do mundo aqui e nas ruas.

Obah não quis comentar sobre a saída repentina de um pequeno grupo de membros dentre eles o príncipe, tinha dúvidas se aquilo se devia ao desastre com Ada ou a algo maior.

- Mas diga-me irmã, qual o caminho para que eu me torne uma rosa tão forte quanto bela? Por onde devo começar, tudo na camarilla é muito novo para mim.

A última fala vem seguida de uma pergunta que de fato representava toda a curiosidade que Obah tinha sobre as tradições e comportamentos mais pertinentes sobre a seita dos engomadinhos.
avatar
Anne Marie Laveau

Mensagens : 147
Data de inscrição : 24/11/2015
Localização : New Orleans

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Hecate - Obah

Mensagem por Hecate em Qua Maio 18, 2016 3:04 pm

Por ser a ironia uma forma de expressão sutil, por mais que Hecate pudesse ler nas entrelinhas, a dúvida cruel restava, o que tornava a estranha ainda mais interessante: - Talvez eu não seja a mais indicada para uma resposta como essa, irmã. Prefiro viver o melhor dos dois mundos sem me preocupar com a hierarquia. Viver a inocência e pureza das crianças mortais sem me preocupar com o futuro, não acho que o dom que ganhamos sirva para nos segregar, nem uns dos outros nem do nosso passado mortal. É por isso que adoro descobrir novas amizades, mas, principalmente novas alianças. Piscou para Obah: - Talvez seja esse o segredo no final das contas. Deu de ombros, como se não importasse tanto: - Mas, algo me diz que você realmente não precisa se preocupar com isso. Apenas divertir-se... Aliás, o que te diverte?
avatar
Hecate

Mensagens : 91
Data de inscrição : 11/12/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Qua Maio 18, 2016 5:05 pm

Emma se junta ao grupo e interrompe.

_Aaaaahhhh eu já não concordo com a opinião de minha irmãzinha Hecate, sei lá, acho que com nossa, digamos, transformação, nos tornamos seres superiores e devemos sim usar os humanos como marionetes que são!

Por um breve período faz um silêncio e somente o som dos músicos e muitos burbúrios intelegíveis são ouvidos, uma coisa muito comum para festas onde muitos falavam de uma só vez.

Por fim Emma da uma risada boba e diz algo para Max.

_Ei, você é a mais tagarela do grupo e nem deu sua opinião...

Max se volta para o grupo seleto, revelando estar realmente desatenta.

_Hã... é... também concordo...

_Sei lá, já faz um tempo que parece que estou sendo observada, eu sei que vocês vão me dizer que estamos em uma festa e é comum belas harpias como nós chamarem muita atenção, mas...

_Acho que papai exagerou um pouco na segurança, estou me sentindo desconfortável. Saca?

Hecate já teve esta impressão uma vez esta noite, mas achou que não passava de uma coisa de sua cabeça.
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Anne Marie Laveau em Qua Maio 18, 2016 7:40 pm

Obah ouve descontraída a resposta de Hecate seguida pelo complemento de Emma. Ambas eram seres bem interessantes , cada uma ao seu modo.

- Acho que sou o meio termo entre vocês duas. Me considero sim como alguém que por minhas qualidades diferenciadas (uma pausa, subi um patamar na escala natural da evolução humana e como alguém que está no topo devo organizar e reordenar os que abaixo de mim estão. Ou seja , usar a sociedade mortal em prol de um bem maior ... o meu !

Encara todo o grupo agora um pouco mais séria, para uma criança da noite swm dúvida Obah era ousada e cheia de si. Continua sua fala agora voltando sua atenção para Max.

- Você fala dos seguranças ou sente algo mais ?

Uma coisa que aprendera foi a de não subestimar nenhum sinal , principalmente depois de tudo que vivera nas últimas noites. Talvez estivesse se tornando um pouco paranóica.

avatar
Anne Marie Laveau

Mensagens : 147
Data de inscrição : 24/11/2015
Localização : New Orleans

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Hecate - Obah - Narração

Mensagem por Hecate em Sex Maio 20, 2016 7:45 pm

Sabia que sua visão era extravagante acerca daquele assunto, de forma que nunca havia esperado uma concordância e por conseguinte, encarava as opiniões divergentes com naturalidade. Pensou então em repetir a pergunta que havia feito para Obah, quando a belíssima negra questionou Maxmiliane sobre uma questão de maior importância.

No meio tempo em que sua acompanhante articulava uma resposta, Hecate concentrou-se habilmente, multiplicando de forma sobrenatural a sensibilidade dos próprios sentidos.
avatar
Hecate

Mensagens : 91
Data de inscrição : 11/12/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum