The Elephant Room

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Sex Maio 06, 2016 8:00 pm

Annabelle chega ao local do encontro entre membros e nota uma segurança forte, mas não muito sufocante. Pareciam homens experientes, mesmo alguns sendo jovens.

Quando descem do veículo logo um homem se oferece para guardar o veículo, Basílio não era motorista, era um segurança, um carniçal, e entrega a chave sem maiores problemas.

Ethan estende o braço e faz um sinal para Annabelle para que entrem.

...

Foi notado pela bela Malkaviana que o clima ficou agitado entre os mortais que faziam a segurança, talvez eles não eram tão mortais assim, talvez fossem vassalos, como Basílio e muitos outros.

...

Quando atravessam a porta do pub, descendo as escadas do mesmo, notam um lugar completamente vazio, exceto pelas luzes acesas e um som vindo de uma vitrola antiga.

O som era bastante baixo, mas era notório que tocava uma das sinfonias de Beethoven, contrariando completamente o clima de ambiente que era de Soul, Blues, rock e música black.

Diversas notas de dólares eram colados em uma parede, com autógrafos de músicos famosos que por ali passavam, dentre tantos, o rei do blues BB. King.

O príncipe sorrir um belo sorriso, tinha algo ali que estava fora do contexto para Annabelle: 'Onde estavam os enfeites, os convidados, a música dançante?'-Se perguntava a todo instante-

Quando de súbito, o som de passos decididos é ouvido ecoar pelo vazio do lugar.

_Príncipe! -Uma bela jovem de tez negra surgiu por entre a luminosidade parca do local-



A mulher beija um anel que tinha um brasão da Camarila. Muitos dos príncipes possuíam um deste, geralmente eram presenteados no momento que eram assumidamente aceitos pela seita.

_Senhorita Ada, é esta a convidada que lhe falei: Annabelle.
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Anabelle em Sex Maio 06, 2016 8:44 pm

Anabelle observa o local sem mostrar-se impressionada, estava ainda abalada com as revelações que lhe foram mostradas.
Deixa-se conduzir automatamente, até dar-se conta  do silêncio anormal para um evento festivo.
Quando cogita perguntar algo, o príncipe  a apresenta à uma  exótica mulher.
Anabelle brinda a desconhecida com um sorriso brilhante e gentil.
- É um imenso prazer conhecê-la.
avatar
Anabelle

Mensagens : 80
Data de inscrição : 05/03/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Sab Maio 07, 2016 1:58 am

Ada olhava a moça com olhares igualmente curiosos, parecia muito interessada naquela que ganhou a consideração de chegar com o todo poderoso Ethan.

Chegar com o príncipe em um baile poderia significar estar na boca dos súditos por quanto a lembrança deste baile durar, mas ambos malkavianos pareciam não y se importar com isso.

_Esta é minha Primógena Toreadora e organizadora deste evento: Ada Kayle.

Ada não era a Toreadora mais bonita que Anabelle já vou, apesar dela também não ser nada feia, possuía muitos dotes e atributos que estavam até então obscuros a Annabelle.

Por anos Ada foi a líder das harpias de Austin, e para permanecer neste cargo pelos anos que se seguiram, até ser eleita Primógena, significa que tinha armas poderosas e uma língua ferina e afiada dada a fama dos membros que permaneceram neste cargo.

...

Era nítido ver a curiosidade de Ada ante a chegada daquela moça de jeitinho meigo e inocente, mas sabia que muitos membros usavam máscaras. Talvez esta a ironia de usar este artifício como tema de seu baile.

_Me acompanhe por favor majestade... Anabelle...

O príncipe nada diz, apenas cumpre o solicitado pela sua primogênita.

Ada conduz seu convidados, talvez os mais ilustres convidados da noite até uma escultura de elefante.



_A partir de agora os senhores conhecerão um novo recanto para os membros desta cidade.

Atrás de uma das notas, bem próximo da escultura iluminada do elefante, havia um botão que agora foi acionado.

Após isso Ada segura na tromba do elefante e mordisca o lábio inferior apreensiva, abaixando suavemente a tromba, que se movimenta abrindo uma passagem secreta naquela parede.

As roldanas e correntes trabalham de forma suave, mas podem ser ouvidas no processo de abertura do local.

_Bem vindos ao Elephant Room!

_Esta é nossa nova ala dos membros...

...

Ethan se mostra surpreso quanto ao local desta cidade, era visto ali muitos membros locais e das cidades vizinhas.

_Eu nomeei este local, totalmente a parte da Elephant Room como "Tumba de Anjos".

_Aproveitem a festa!

Se tratava de um corredor não muito longo, iluminado, ao contrário do bar/Pub que viram a poucos.

O choque de realidade era de fato impressionante:



Esta porta era uma porta secundária, existia uma outra principal por onde os membros das cidades vizinhas entraram, ou seja, os membros de Austin tiveram uma entrada completamente exclusiva.

Ao atravessar a porta, foi possível se ver uma imagem pintada a mão da queda de Lúcifer e de seus anjos caídos.

Toda esta imagem era perfeita e foi talhada a mão na madeira daquela porta.
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Sab Maio 07, 2016 4:20 am

Ao chegarem no lugar, notam uma segurança intensa no lugar, todavia muito organizada.

O próprio Algoz e o assistente mortal do xerife direcionavam e organizavam os homens, além de alguns outros membros como a propria cria do príncipe por exemplo estarem diretamente envolvidos.

Havia também por ali; guardadores de veículo e algumas recepcionistas, organizadas pela Ventrue e também Harpia Emma Smith que parecia receber os convidados.

OFF: Todos os jogadores estado autorizados a chegar no local.
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Miamoto Mifune em Sab Maio 07, 2016 4:49 am

(Mifune demora a achar uma vaga perto e acaba estacionando do outro lado da rua, o local era mais movimentado que o oriental imaginou. Mas nao era de se espantar o Elephant Room era o muito famoso, nem em NY ele havia um pub de Jazz tão famoso. Porem Mifune se surpreende ao ver a faixada discreta)

É aqui mesmo?

(Mifune perguntava para a Frida que apos confirmar o local ele apenas espera os dois sairem do carro enquanto continua)

Vou me trocar e encontro com voces la dentro!

(Após os dois sairem Mifune vestia seu terno e ligava para Kaworo)

Onde voce esta?
avatar
Miamoto Mifune

Mensagens : 222
Data de inscrição : 26/11/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Miguel Rodrigues em Ter Maio 10, 2016 12:51 am

Enquanto desce do carro, Miguel repara o quão desconfortável se sente vestindo aquilo, aquilo até lhe dava mobilidade, mas o jeito que prendia seu corpo quando se mexia, ele nunca se acostumaria com aquilo, ele olha para Frida, e pergunta novamente, o que vinha pedindo por todo o caminho:

-Tem certeza que não posso entrar armado? Sério mesmo, só uma faquinha já é o suficiente, não? Uma colher então, eu consigo matar alguém com uma colher.
avatar
Miguel Rodrigues

Mensagens : 49
Data de inscrição : 23/02/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Ter Maio 10, 2016 3:29 am

Off: William deve dar sua descrição para Seraph, estou conferindo liberdade poética para criar sua chegada ou o que seja lá que esteja fazendo.

Smile
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Ter Maio 10, 2016 3:41 am

Narração Mifune

Frida da de ombros quando Mifune disse que se trocaria e ficaria para trás.

Após ligar para Kaworo, ela atende um tanto que esbaforida, parecia ter corrido para atender o celular.

_Diga mestre, tive que correr...

_Esta tudo bem, estou coordenando estes cabeças de bagre, e acho que terminamos os reparos do dojo até o fim desta noite.

_Eu andei pensando; o que acha d'eu encomendar um elmo para a armadura. Acho meu macabro uma armadura sem cabeça...

_Bom, é só uma ideia, sei como é sentimental com ela.


Última edição por Narrador em Ter Maio 10, 2016 3:56 am, editado 1 vez(es)
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Ter Maio 10, 2016 3:53 am

Narração - Miguel

Frida desceu do carro e caminha até a porta do Pub, parecia não ter se importado muito em ter deixado Mifune para trás.

Quando sua cria começa a indagar.

_Eu não vejo problema algum, não estamos em um Elísio.

_Mas existe uma regra cria, que você deve aprender ligeirinho, para não ficar em mal lençóis; sempre que Ocê entrar em um domínio de alguém, como é esse caso, Ocê esta sujeito as regras deste domínio.

_Domínio é um pedaço de terra qualquer, que o príncipe te dá pra tomar conta. Aí você põe a regra que quiser. Entendeu?

_Bão, estamos no Texas, e até os padeiros amam armados, acho que não tem nada de mais...

_Só não faz besteira, eu sou responsável por qualquer merda que ocê fizer, então se for dar um peido, me pergunta antes. Entendeu cria?

_Se fizer algo errado, falar algo de errado, com as pessoas erradas, eu posso não conseguir te salvar!

Frida parecia não brincar nunca, era uma velha rabugenta, mas desta vez, em específico, você notou preocupação em demasia.
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por William Reddington em Ter Maio 10, 2016 4:09 am

William-Chegada

Após o início de noite conturbada, finalmente William chegava a festa na qual era um dos responsáveis pela segurança. Se tratando de um baile de máscara, o Ventrue colocou a sua com a ajuda de sua vassala e então voltou o olhar para a mesma dizendo:

-Vá para a casa e descanse, pois provavelmente precisarei de você na próxima noite.

Então pela primeira vez em mais de 300 anos, William saia do veículo que estava sem ter Zaki para verificar o perímetro. O Ventrue se pôs de pé fora do Veículo e ajeitou a gravata do terno armani que vestia e caminhou de maneira firme atravessando, indo em direção a entrada do Elephant Room, a medida que caminhava as pessoas logo podiam ver a escolha de máscara feita pelo vampiro:



Não foi muito difícil se identificar na entrada do local, já que grande parte da segurança era feita por seus serviçais, desceu a escadaria enquanto já era tomado pelo som da música do local, enquanto descia o Ventrue apenas pensou:

"Humm, nada mal"

Por fim, caminhou entre as pessoas, buscava não chamar muito atenção, mesmo que sua suntuosa roupa e máscara fizesse isso por ele. Aqueles que reconhecessem William, sentiria falta de sua leal sombra, Zaki ao seu lado.
avatar
William Reddington

Mensagens : 227
Data de inscrição : 18/11/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Miamoto Mifune em Ter Maio 10, 2016 5:39 am

Um capacete para armadura do meu pai?!

(Mifune indagava de forma inesperada e então fazia uma pausa pensativo)

Creio ser muito difícil encontrar um local aqui em Austin ser capaz de algo assim...de qualquer forma agora não é hora para pensar nisso, quando vc chegar conversamos sobre esse seu medo de armaduras sem cabeça.

(O samurai falava em tom provocativo e discontraido e após a resposta de sua carniçal ele se despede desligando o seu celular e indo até o pub, no meio do caminho pega sua máscara de um antigo demônio japonês, os famosos Oni. A que estava no seu paletó era uma vermelha que tampava todo seu rosto (igual da foto), Mifune até sorrir ao colocar, fazia anos que não vestia uma e aquela máscara correspondia ao folclore japonês diretamente ligado aos samurais. Mas Mifune ria ao imaginar a cara de Miguel quando notasse a máscara que estava no paletó destinado ao Sasaki)



(Mifune se lembrava que Kaworo o disse mais cedo que tinha comprado uma máscara especial para Sazaki, e sabendo como os dois eram implicantes um com o outro,  o Brujah já esperava alguma zuaçao vinda da mesma uma pena que quem seria vítima da pegadinha seria a cria de Frida)

(A máscara de Miguel é um Kitsune - ZENKO raposas do bem, celestiais, associadas ao deus Inari, deus do arroz, da fertilidade, da agricultura, que seguem os ensinamentos do deus Inari, é uma máscara meio afeminada pois Zenko é dito como uma raposa fêmea)

avatar
Miamoto Mifune

Mensagens : 222
Data de inscrição : 26/11/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Anabelle em Ter Maio 10, 2016 2:47 pm

*Anabelle  percebe o olhar indagador de Ada, e fica  visivelmente confusa por alguns instantes. Logo parece entender o motivo de  tanta curiosidade.
Sorri gentilmente, nos olhos azuis da filha de Malkav apenas um tempestade podia ser discernida. Era difícil definir o que ia na cabeça de Anabelle.
Quanda Ada a convida para segui-la  Anabelle o faz sem nada dizer. Ao observar as artimanhas que a toreador havia lançado mão para ocultar o salão reservado à membros Anabelle fica encantada.
Tinha predileção por salas ocultas e passagens secretas, como Ethan havia observado em seu domínio mais cedo naquela mesma noite. Esta visivelmente encantada.*
-Deveras primoroso!
*A malkaviana observa cada detalhe com minúcia, com certeza o trabalho fora muito bem executado. Ethan devia estar orgulhoso de sua escolha pra primógena do clã da rosa.  Por alguns instantes os olhos turbulentos  ficam deslumbrados, quase infantilmente.
Anabelle pensa em elogiar novamente as escolhas de Ada quando escuta o nome do salão, e vê a pintura de Lúcifer, mas, prefere calar-se não desejava ser tachada logo de cara como aduladora.*
avatar
Anabelle

Mensagens : 80
Data de inscrição : 05/03/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Hecate - Narração

Mensagem por Hecate em Qua Maio 11, 2016 3:26 am

De dentro de uma luxuosa limousine, desdobrava-se uma divertida conversa entre Hecate e Maximiliane, com raras intervenções de Jessie. A iluminação colorida somada a uma trilha sonora animada emprestava ao ambiente um clima festivo que antecedia ao baile. A Toreadora não havia economizado esforços na tentativa de impressionar sua nova amiga, fornecendo vitae que embora em quantidade limitada, garantiria um clima especial para a viagem.

Estavam alheias ao transito e até a própria movimentação do veículo, dado o conforto do trajeto guiado pelo motorista. Ao ponto de, ao término, surpreenderem-se com o empregado abrindo a porta, evidenciando que haviam chegado finalmente ao destino.

Numa espécie de reação adolescente, dados os ânimos exacerbadamente festivos, Hecate arregalou os olhos com semblante risonho e, o que não seria nada, passou a representar um motivo para chocarrice e gargalhadas.

Nesse clima que, a loira da Clã das rosas se colocava para fora do carro, trajando uma espécie de sobretudo dourado que assemelhava-se as asas de uma harpia mitológica. Por baixo, vestia apenas um tipo de top e saia longa, ambos brancos, não faltando um salto alto dourado, do tipo agulha.

avatar
Hecate

Mensagens : 91
Data de inscrição : 11/12/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Seraph em Qua Maio 11, 2016 3:29 am

*Observo as membros que vão chegando ao local, a maioria eu conhecia muito bem. Mas sempre tem algumas surpresas. Eu estava da mesma maneira que em séculos, sem mostrar nenhuma expressão, nada ali me afetava, ou causava algo. Me concentro então no que tinha que fazer naquele local e me coloco a procurar o almofadinha. Não seria uma coisa muito fácil, já que todos ali estavam mascarados, mas o jeito metido de William poderia ser discernido dos demais. *
avatar
Seraph

Mensagens : 325
Data de inscrição : 18/11/2015
Localização : Austin

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Qui Maio 12, 2016 1:17 am

Narração - William


Emma estava na recepção, a bela ventrue é quem recepciona William.

_Boa noite senhor?

...

A senhorita Smith parece não ter reconhecido William, e o protocolo de segurança dizia que mesmo mascarado o membro deveria mostrar seu rosto para ganhar acesso livre a festa.



(23:56)

avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Qui Maio 12, 2016 1:47 am

Narração Mifune -Miguel - Frida

Frida olha para a cria ignorando a roupagem nova dele. Ela estava desmascarada e logo é questionada por Emma que recepcionada a todos os recém chegados.

_Mas Frida, o baile era de máscaras...

Faz uma cara do tipo: você não entendeu bem o conteúdo do convite?

_Eeee???

_Vão me barrar agora por que estou sem máscara moça? Quem precisa de uma máscara é Ocê, pra tapar essa cara feiosa e este sorriso amarelo.

Frida parecia não medir as palavras com a ventrue, que por se tratar de uma harpia, já teria algo a comentar naquela festa.

Mas para mostrar que não estava brincando, Frida aponta os dentes e revela suas enormes presas e garras.

_Não acha que já somos monstros demais? -Dizia revelando agora seu olhar rubro também, enquanto rosna feito um cão bravo aos que olham curiosos-

Emma engole um sorriso e quase se esconde atrás de um dos seguranças mortais que ali estava.

Off: Mifune ou Miguel podem intervir, e tentar convencer Frida a usar uma das máscaras gentilmente oferecidas por Emma.


01:10
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Qui Maio 12, 2016 1:56 am

Narração - Seraph

Seraph finalmente chega a porta de entrada e lá encontra Emma. Quando nota o fogo do príncipe, emite um sorriso Faceiro.

_Pois não senhor Seraph, temos uma máscara para emprestar ao senhor caso não tenha uma.

_Aquele carro que lhe deixou na esquina não era de Briene, eu achei ter visto ela...

_Bah, vamos ao que interessa...

_É muito bom ver o senhor por aqui, e se me permitir posso lhe ajudar com sua máscara...

(00:34)
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Seraph em Qui Maio 12, 2016 2:11 am

-Eu pensei que todos nós já existiamos com máscaras Senhorita Emma, e no meu caso isso vale duas vezes (faço sinal para o meu rosto).

*Pego a máscara ofertada por ela gentilmente.*

-Obrigado pela gentileza e hospitalidade Emma. Agora se me dá licença....

*Sigo andando para o interior com com a máscara no rosto. Conversar com Seraph era algo desagradável para a maioria dos membros. Não havia emoção ou motivação em sua voz, não era possível ler seu estado de espírito pelo seu jeito de se portar, era quase como realmente falar com um cadáver que responde automaticamente!!!*
avatar
Seraph

Mensagens : 325
Data de inscrição : 18/11/2015
Localização : Austin

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Qui Maio 12, 2016 2:12 am

Narração - Hecate

Maximiliane utilizava um vestido rodado prata com algumas pedras de brilhante.

Ela sai do veículo usando sua máscara que combinava com seu vestido, exceto por ter também algumas plumagens brancas, mas nada muito extravagante.

Max estava linda e isso aumentava de certa forma algum sentimento, algo além de amizade; talvez desejo, na vampira do clã das rosas, mas Hecate escondia bem isso.

Chegando na recepção, se deparam com Emma.

_Boa noite meninas, hoje é dia de arrasar e pelo visto vocês não pouparam esforços hein...

Emma segura na mão de Hecate.

_Você esta linda meu anjo, você na realidade esta como sua fantasia sugere...-Beija em seguida seu rosto-

_Mas não é isso que tenho a lhe falar!

_Cortejos a parte... Não poderia deixar de parabenizar a mais nova Harpia da cidade...
Acredito que o príncipe Ethan não poderia ter feito melhor escolha!

_Ah, sim, também estendo minhas felicitações a seu pai, que ainda não chegou, mas darei as entregarei pessoalmente...

_Bem vindo meu lindo anjo.

_Vá, voe e aqueça esta festa com sua língua afiada!-Diz em tom de brincadeira, mas era exatamente isso que as harpias faziam-

_Darei uma fugidinha assim que possível meninas...

(22:00)
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Qui Maio 12, 2016 2:33 am

Narração - Obah

A bela limousine estaciona em frente ao pub. Ernest estava concentrado, mas não aparentava nervosismo.

O vampiro após Obah dizer que estava tudo pronto, inspira fundo e segura na mão da bela negra, beijando em seguida seu rosto. Ainda próximo a seus ouvidos diz:

_Vamos minha bela?

Após estar tudo OK, o confiante Ernest desce e após isso ajuda Obah descer, como o bom cavalheiro que era.

...

Chegando na recepção, percebe uma das Harpias fazendo a função de recepcionar os que chegavam.

Emma ao notar a chegada da bela dupla, sorrir e se aproxima. Ernest logo de cara segura nas mãos da moça e beija em seguida, todavia faz isso sem se desvencilhar de Obah Abdala.

_Boa noite minha querida harpia...

_Esta aqui é uma de minhas crias, Obah Abdala.

Emma fitava a bela representante do povo negro. Imaginava se Obah foi uma escrava leal na era da escravidão a ponto de atrair Ernest e induzir ele a abraça-la ou se tinha sido abraçada recentemente.

_Como ela é linda!

_Sejam bem vindos, ambos...

_E também senhor Ernest, queria parabenizar o senhor pelo mais novo cargo de Zeladoria do Elísio.

_Desejo toda sorte do mundo!

(22:55)
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Narrador em Qui Maio 12, 2016 2:54 am

Narração - Anabele

Aos poucos a festa vai ganhando forma. Um jovenzinho negro era o responsável por animar toda a festa, o som era blues, com pegada e estilo, mas logo o homem, que se dizia neto de Robert Jhonson, o cantor que fez pacto com o diabo, chama dois convidados ilustres.

Logo Anabele finalmente entende de onde reconhecia aqueles homens: Eram Eric Clapton e Marc Knopfle.

Os rapazes cumprimentam a todos e logo a festa tende a músicas de vários ritmos, oscilando entre rock e blues.

...

Ethan parecia estar gostando da festa e apresenta algumas pessoas que se aproximam para cumprimentar.

Quando finalmente tem um tempo a sós, diz:

_Estou gostando da festa, estes rapazes que estão cantando, estão mandando muito bem!

A figura do sorriso do príncipe e olhar distraído enquanto batia palmas ao fim de uma das músicas, logo se confundiam com a cena triste que viu no início da noite.

Não importa o que fizesse e o quanto se esforçasse, não dava para esquecer, aquilo atormentaria a mente da perturbada da malkaviana por longas noites.

_Espera um momento, vou pedir uma música, já volto!

(23:12)
avatar
Narrador
Admin

Mensagens : 1230
Data de inscrição : 17/11/2015

Ver perfil do usuário http://austinnoturno.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Anne Marie Laveau em Qui Maio 12, 2016 4:06 am

Os belos olhos esmeralda de Obah apenas seguem Ernest que parecia menos empolgado que ela diante de tudo que acontecia.

Oferece-lhe a mão apresentando uma confiança nunca antes vista sequer por ela mesma, aquela era sua noite também. A cria do ancião toreador desce do carro deslizando rumo à recepção, a leveza de suas passadas era tanta que não podiam ouvir o barulho de seu salto alto se é que calçava um.

Suas vestes a deixavam bem à vontade, seu perfume de sândalo enebriante, sua pele de sede tinha uma leve toque bronzeado por oleos aromatizados de origem desconhecida. Em sua cabeça uma bela coroa cheia de símbolos de culturas diversas, desde a cristã e outras de origem pagã, em seu rosto não havia máscara a carregar pois estava repleto de uma pintura de cores exóticas que o disfarçava bem. Mas para evitar problemas na mão esquerda carregava uma máscara tribal que talvez homenageasse suas origens. De fato só a colocaria se fosse necessário.

Diante de Emma apenas um largo e simpático sorriso seguido de uma leve reverência é exposto, seus olhos percorriam ao redor, em busca de uma pessoa ou quem sabe várias naquele recinto.

Rapidamente sente um leve temor, lembra-se de Atlanta e de como a noite era propícia para um segundo levante. Mas diante da tranquilidade do olhar de Ernest logo esse calafrio é substituído pela vontade de adentrar salão adentro e aprender muito com os que ali estavam.





Off: Algo assim seria a máscara dela


avatar
Anne Marie Laveau

Mensagens : 147
Data de inscrição : 24/11/2015
Localização : New Orleans

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Miguel Rodrigues em Qui Maio 12, 2016 4:28 am

Off: Resposta a primeira publicação

Miguel fica feliz com a resposta de Frida, ele volta até o carro ajeita os seus coldres que ficam completamente escondidos dentro de seu terno, agradece ao destino pelo terno ser um pouco maior que o seu tamanho, pega a mascara que Mifune lhe deu:

-Seu amigo tinha gostos... Peculiares- Diz ele rindo e encaixando a máscara em seu bolso, de modo que ficasse pendurada ao seu lado.

Ele segue Frida e Mifune até a entrada.

Off: Cena 2

Miguel observa tudo em silêncio, enquanto Frida conversa com a moça na entrada, após ela terminar, ele resolve conversar com ela, falando baixo de um jeito que apenas os dois escutem:

- Hey, eu sei que você não gostaria nem um pouco de estar aqui, e visivelmente eu também não- fala ele rindo, de um modo descontraído- Mas como você me explicou antes, nós estamos no domínio de outro Membro, não estou querendo minar sua autoridade, apenas pedindo um favor, se é que posso- Ele fica um pouco recluso ao falar isso- Nós já passaremos por um perrengue, pelo fato da minha apresentação extremamente tardia a este tal de príncipe, o máximo que nós pudermos fingir, que nos importamos com seus joguinhos, festas e "máscaras"- Diz ele enfatizando a palavra- nos ajudará á passar o mais tranquilo e rápido por isso, aceite a máscara, falamos com o príncipe, então depois, com o maior prazer do mundo, prometo que jogamos essas máscaras no primeiro buraco que aparecer, me ajude só mais um pouco.

Ele sorri.
avatar
Miguel Rodrigues

Mensagens : 49
Data de inscrição : 23/02/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Miamoto Mifune em Qui Maio 12, 2016 4:40 am

(Antes de por a mascara Mifune sorria para Miguel quando o mesmo fala sobre a mascara)

Conhece algum vampiro que não tenha?

(Nesse momento o samurai percebe a desavença entre Emma e Frida)

Creio que vc tera que desculpar a Frida. A presença dela na festa exige que ela esteja sem nenhum tipo de artefato cujo possam atrapalhar suas habilidades...

(Mifune tomava a dianteira da situação como quisesse apaziguar a briga)

Com sua licença Emma...

(Mifune pega uma das mascaras na mão da Ventrue e da para Frida enquanto sussurra para a mesma)

Guarde sua furia para o Saba. Enquanto isso acho que seria importante que agente se misture, para observar melhor. Esse lugar é o verdadeiro buraco

(O Samurai falava olhando para o casal de gangrel)
avatar
Miamoto Mifune

Mensagens : 222
Data de inscrição : 26/11/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Anabelle em Qui Maio 12, 2016 3:41 pm

*Anabelle observa a festa desenrola-se à sua frente, deixa-se embalar belo som quente e contagiante. Não demonstra surpresa ao perceber as figuras icônicas que ali estavam. A fama da corte de Ethan o precedia, e não era de se esperar menos de um evento organizado pela primógena toreador .
Mordendo o lábio inferior ela ajusta a máscara sobre o rosto. Detestava usar máscaras ou qualquer que fosse o artifício para ocultar quem ou que realmente era. Infelizmente aquele era um mal necessário.
Suspirando ela olha novamente ao redor, escuta as risadas e o tilintar do cristal. Volta então o olhar para o regente ao seu lado. O perfil sorridente era realmente belo. Brincando com o pingente em seu pescoço a visão que fora mais cedo lhe revelada voltam vívidas, quase reais. A mesma dor e pânica se avultam em seu peito.
Franzindo o cenho ela tenta entender como, que mesmo sabendo o que o futuro reserva para aquela corte, o príncipe consegue manter tamanha serenidade, e desfrutar com deleite do festejo.
Ethan a tira de seus devaneios ao informar que pediria uma música. Anabelle sacode a cabeça para afastar aqueles pensamentos sombrios, senta-se ereta na cadeira, e apesar de não precisar suspira profundamente.
Passa a observar os convidados e os seus respectivos “títulos”. Se queria transformar o futuro ia necessitar de ajuda...muita ajuda...*



Off: Mascara de Anabelle[img][/img]
avatar
Anabelle

Mensagens : 80
Data de inscrição : 05/03/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Elephant Room

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum